Quinta-feira, 31 de Março de 2005
Será que partilham da minha opinião? Não acham preocupante que no horário nobre da televisão em Portugal tenham lugar conversas a fio de uma senhora em modo polifónico com um burro??


escrito por Joan@ às 14:45
dizer coisas | comentários (5) | partilhar

Segunda-feira, 28 de Março de 2005
Há meses fui a um hipermercado fazer compras, e quando estava na fila da caixa para pagar, estava um senhor à minha frente, atarefado com o seu carrinho e os seus sacos, nada que fugisse à normalidade… Mas, minutos depois, a senhora da caixa perguntou-lhe qual o meio de pagamento e ele respondeu “Multibanco”, pelo que a funcionária lhe estendeu o terminal de pagamento, dando as instruções da praxe “verde, código, verde”. E não é que o senhor agarrou firmemente na máquina, olhou de soslaio para os lados, aproximou-a da boca e disse, com um ar algo comprometido (aquela expressão facial que traduz "o que tem de ser tem muita força..."), mas num volume bem audível “verde, código, verde”!!?!

tags:

escrito por Joan@ às 07:08
dizer coisas | comentários (7) | partilhar

Domingo, 27 de Março de 2005
Isto de viver sob o mesmo tecto de um crítico de cinema e dois comentadores-domésticos da sétima arte não é fácil, sobretudo para alguém que, como eu, tem alguma aversão a ficar mais do que 30 minutos sentada em frente de um écran (a não ser o do computador), e não consegue participar em debates, quer sejam sobre o último filme de Jean-Luc Godard, sobre os Óscares, sobre a prestação do Tom Cruise ou sobre as salas de cinema por esse país fora!! Contudo, farta de ser discriminada nesta casa de cinéfilos, inauguro a partir de hoje uma rubrica no meu blog dedicada a citações de filmes, para mostrar que não sou tão inculta assim, ou, se quiserem, para provar definitivamente que sou atrasada mental (mas que não me importo nada!!).
A primeira aqui fica: "Eu sou uma batata casada" (in Toy Story)

tags:

escrito por Joan@ às 15:51
dizer coisas | comentários (12) | partilhar


Começava a ser impossível manter este blog sem que nele figurasse uma homenagem ao Rei das Manhãs! Ah pois é! Toda a gente que me conhece minimamente sabe que o Goucha foi, é e será a minha estrela-guia, o meu talismã televisivo, um ícone do entretenimento! Ou não fosse ele o maior expositor humano de fatos e gravatas visualmente chocantes, o responsável por fazer disparar as contas telefónicas da terceira idade de norte a sul do país, que ligam freneticamente para expressar o seu apreço pelo "senhor Manel", o corajoso eterno noivo da mulher-maxilar "Teresa Guilherme", o maior especialista português em desligar-o-telefone-na-cara-de-telespectadores-que-falam-demais, o destemido apresentador que se infiltrou por diversas vezes no Mercado do Bolhão, sentindo não só o calor mas também a baba humana, batendo até o record de beijos por segundo antes detido por Paulo Portas (se repararmos bem até são parecidos!), e, last but not least - o genial inventor de slogans (não menos geniais) como "não seja trouxa, vote Goucha!"... Aqui fica o meu voto!


escrito por Joan@ às 12:20
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Continua a ser produtivo assistir a excertos do Jornal Nacional (à emissão completa não aconselho, já que pode provocar danos irreparáveis no organismo humano). Noutro dia o pai de uma criança campeã de karting (muito gostam os pais das crianças visadas de prestar declarações e de gozar em pleno os seus 5 minutos de fama) afirmava convicto que o seu filho tinha sempre um "dilema"... curiosa para saber o que preocupava uma criança tão pequena, fiquei para ouvir.. e qual não é o meu espanto quando o senhor enuncia o tal dilema: "o que interessa não é ganhar, é participar!".


escrito por Joan@ às 11:37
dizer coisas | comentários (2) | partilhar

Terça-feira, 22 de Março de 2005
Há alguns meses atrás havia por aí alguns autocarros que traziam mensagens perturbantes, e não eram subliminares, eram bem óbvias, ou não estivessem em cartazes enormes! Nem sei como consegui recuperar da inquietação que aquele slogan me causou, sem nunca mais me recordar dele. Mas hoje, sem que nada o fizesse prever, acordei e lembrei-me dessa enigmática frase (nota-se que a minha vida não é muito difícil não é?)... Quando penso que já vi de tudo no que respeita a marketing e publicidade, eis que surge uma campanha perturbante como esta da First (pensos higiénicos) - Sê infiel, usa First!! A mensagem é tão forte que, meses depois, sem que qualquer cartaz persista nos autocarros de Lisboa, ainda me debato com o seu profundo e intrigante significado!!


escrito por Joan@ às 08:54
dizer coisas | comentários (7) | partilhar

Domingo, 20 de Março de 2005
Sábado, 3 da manhã, um carro algures a caminho de Lisboa, e uma sintonia: 87.6. É este o número mágico que nos transporta até ao universo do "Expresso da Madrugada" da Seixal FM. A animar as hostes, um senhor que bem podia ser verde (a avaliar pela voz, igualzinha à do sapo Cocas), em permanente interacção com os ouvintes que não paravam de telefonar. O primeiro interveniente, com voz constipada, queria mandar beijinhos para um rol infindável de pessoas, entre as quais as suas amigas da tabaqueira, e a todos os que, como ele, estavam doentes! Mas o melhor estava para vir, com um concurso fascinante, onde quem telefonava era convidado a responder a uma pergunta para ganhar um CD. As conversas começavam, invariavelmente, com esta sequência: pergunta - "Então e o senhor já ganhou algum prémio neste concurso?", resposta "Não, não, nunca". Passava-se então ao momento da verdade. No caso da D. Ana, a questão que lhe saiu na rifa foi "Em que ano é que Dina editou o tema 'Há Sempre Música Entre Nós'?".. Silêncio, alguma hesitação, a senhora em jeito de pedido de misericórdia afirma conhecer muito bem a Dina "mas o ano, vou ter de arriscar...", o Cocas incentiva esse passo destemido, a senhora atira "1989!", e a resposta não se faz esperar "Hum... Que pena...", diz o locutor com tom maquiavélico: "ainda não foi desta que ganhou alguma coisa". Apesar de tudo há que reconhecer que o sujeito até tinha bom coração, já que, depois da sua ouvinte dar mostras de uma falta de cultura gritante, ignorando a data de edição de um estrondoso êxito da música portuguesa, ainda lhe deu oportunidade de escolher e dedicar uma música a seu bel prazer. E a D.Ana falou e disse... "Paulo de Carvalho, Meninos de Huambo, para dedicar a todo o auditório." Mais nada! Com programas destes vou passar a ficar acordada todas as noites, das 0h as 7h, vale a pena!


escrito por Joan@ às 12:06
dizer coisas | comentários (3) | partilhar

Sábado, 19 de Março de 2005
Ouvimos constantemente que "há portugueses espalhados pelos quatro cantos do mundo". Acho que não somos o único povo disperso pelo mundo, mas somos com certeza aquele que torna qualquer desses "cantos" agitado, por mais tranquilo que fosse, antes da chegada do verdadeiro TUGA!
"E o que é ser Tuga?", perguntam vocês (finjam que perguntam pelo menos, para não me sentir completamente autista) - e eu respondo: ser tuga é:
- ser sempre fiel ao "fiel amigo": seja em pastéis, seja com natas, seja à brás, seja cozido às postas, seja qual for a refeição (incluindo o pequeno-almoço), seja "Riberalves" ou da Noruega!;
- usar pulseiras de ouro e um anel no dedo gordo, de preferência com um diamante fingido;
- exibir essas jóias pondo o braço fora do carro, viatura essa que deverá estar decorada com artefactos do respectivo clube de futebol, a abanarem-se compassadamente no retrovisor;
- a conduta ao volante não fica esquecida no "manual do bom tuga", que inclui um código próprio para os condutores lusitanos: apitar sempre que possível, seja porque passou uma jeitosa ou porque o condutor da frente não passa dos 120km/h - numa estrada local - (falta-lhe o talento português), ter sempre cervejas no porta-luvas e uns quantos barris no porta-bagagens, ignorar todo e qualquer sinal disposto na estrada, mesmo os vermelhos e brancos, a não ser que seja a bandeira do benfica, hasteada por outro típico emigrante, conhecedor das regras deste código exemplar!;
- a conduta enquanto peões também é cuidadosamente tratada pelos portugueses, que falam sempre bastantes decibéis acima do povo local (mesmo que estejam na sala de espera do otorrino do hospital da região), fazem os possíveis por abraçar os amigos dos amigos, mesmo que seja a primeira e última vez que vão estar com eles, e na maioria das vezes ainda os convidam para um cafézinho "lá em casa" (onde antes das visitas se sentarem, insistem em mostrar todas as divisões, até ao mínimo detalhe, como os fantásticos estores que compraram a semana passada);
- os aposentos de um tuga que se preze também são facilmente identificáveis, não só pelo pano rendado em cima da televisão e pelos biblots em cima de todas as superfícies, mas também pela existência de uma televisão, um leitor de dvd's e uma aparelhagem em todas as divisões da casa, incluindo a casa-de-banho (mesmo que tais posses impliquem não comprar comida durante um mês - até porque há sempre o belo pastel de bacalhau no congelador).
Estas são apenas algumas das principais características que permitem distinguir um TUGA a quilómetros de distância, em qualquer lugar do Mundo! Mas poderíamos referir muitas outras, o típico bronzeado em que, mesmo nus, parece que têm uma t-shirt vestida, a tendência incontrolável para passar à frente em todas as filas, mesmo que sejam a única pessoa, a vontade irreprimível de comentar "o grande derby de ontem" com o barbeiro, mesmo que este seja japonês e não conheça o "glorioso"! Talvez numa próxima oportunidade possamos continuar esta conversa!!

tags:

escrito por Joan@ às 09:23
dizer coisas | comentários (5) | partilhar


Quando está à porta mais um "Cruzeiro Fitness Compal Light" é bom recordar as tão bem sucedidas edições anteriores, e sobretudo lembrar o que este "ginásio aquático" tem para oferecer. As revistas da especialidade encarregam-se de referir as "aulas de BTS, Pilates, step, yoga, localizada, etc", bem como os vários serviços a bordo, mas esquecem-se do principal.
Como fica comprovado pela fotografia em cima, neste barco há lugar para os desportistas com necessidades especiais!!

tags:

escrito por Joan@ às 09:07
dizer coisas | comentários (2) | partilhar

Terça-feira, 15 de Março de 2005
Porque não assinam os comentários quando os deixam?? Tornava tudo bem mais divertido! Eu explico - é tão raro alguma alma caridosa comentar o meu triste blog que, quando o fazem, devem mesmo dizer o vosso nome, e com sorte ainda podem descontar isso nos impostos, como donativo de solidariedade!
Não vêem que a minha cabeça tem de estar fresca para pensar nas anormalidades que aqui escrevo e que não lembram a ninguém? Por isso mesmo não posso ter o meu espírito inquietado com comentários anónimos! - apesar de, incrivelmente, ainda ningúem me ter insultado (o que não implica que me tenham elogiado) - seja o que for que digam, podem deixar o nome (não é preciso morada nem número de BI)!
Muito agradecida, despeço-me com amizade: Joana Marques.

tags:

escrito por Joan@ às 17:17
dizer coisas | comentários (8) | partilhar

contacto
joanabm@gmail.com
monstro's book
o chefe recomenda...
já moles...
2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


acabados de fazer...

2012 - ainda posso submet...

Aniversários

balançar 2011

O medo é uma cena que me ...

"Férias são férias, aqui ...

O ano dos avós

Sobre o tradutor da TV7 D...

Tenho para mim que...

tags

todas as tags

subscrever feeds