Terça-feira, 27 de Setembro de 2005
Ontem observei atentamente o espectáculo único dado pela astróloga de serviço da RTP, Cristina Candeias, que num abrir e fechar de olhos fala de passado, presente e futuro de qualquer pessoa que telefone para a Praça da Alegria. Ok, é fácil definir um perfil comum de qualquer indivíduo que não só se dê ao trabalho de ver tal programa como ainda gaste dinheiro a telefonar para lá, mas a Sra. Candeias vai mais além!! Em poucos segundos faz aparecer num enorme plasma um gráfico onde consulta, imagine-se, os trânsitos astrais!!! Este vocabulário técnico fez-me pensar em novas hipóteses de consultas televisivas. Senão vejamos, já há o panorama do trânsito nas cidades todas as manhãs, já temos Cristina a consultar os trânsitos das estrelas, seria interessante poder consultar, num qualquer canal generalista, os trânsitos intestenais! Poderia ser apresentado pela dupla Filipa Vacondeus/Carlos Capote, que esclareceriam as dúvidas intestinais de cada um! Parece que já estou a ouvir o diálogo!
Antónia, Marco de Canavezes - "Bom dia.. antes do mais quero dizer que gosto muito do pograma e queria que a D.Filipa me falasse do trânsito intestinal!" (enquanto Vacondeus toma a dianteira, Capote aponta para o plasma onde já se pode ver o mapa digestivo, com intestino delgado e grosso ao pormenor)
Filipa Vacondeus - "Olá minha querida, vejo aqui algumas complicações. Hoje está sob o ascendente Salmão, com alguma influência de puré de batata, confirma?? Pois, bem sei! E vejo até alguns vestígios de Paprika! Posso dizer-lhe desde já que vai ter uma semana gástrica muito positiva, o esvaziamento será fortemente favorecido, os sucos estarão em alta e as enzimas terão tendência a prosperar".


escrito por Joan@ às 03:17
dizer coisas | comentários (2) | partilhar

Praça de Alegria, RTP1, Segunda Feira 26 de Setembro, 10h28m, a fantástica astróloga de serviço vê algumas irregularidades no mapa astral da "paciente" de Vila Nova de Gaia, e pergunta "Maria, tem ou teve problemas com a justiça??", ao que a senhora responde, convictamente: "Naaa.. o meu problema a injustiça deste mundo!! É tudo muito injusto
menina!".. Palavras para quê?? Está tudo dito, grande Maria!


escrito por Joan@ às 03:09
dizer coisas | partilhar

Domingo, 25 de Setembro de 2005
O Governo decretou ontem (que só por acaso era domingo) o estado de calamidade, a pedido de muitas famílias que perderam recentemente um ente querido para o Sudoku. Este desastre natural, com sonoridade de personagem do Dragon Ball, conseguiu ser mais devastador que o Tufão Katrina e ter mais citações na internet do que Pedro Santana Lopes (pena é não ter voz para se gabar do feito). O Sudoku é apontado como principal responsável pela destruição de vários agregados familiares por esse país fora. Há notícia de assassinos que confessam ter como móbil o facto de "não conseguirem acabar o último quadrado", de mulheres que expulsaram os maridos depois de encontrarem vestígios de Sudoku nos seus bolsos, para espanto destes, que tentam em vão defender-se "O Su é só um amigo, sabes bem que tu é que és a mulher da minha vida, além do mais és muito menos quadrada que ele!", de crianças que entraram no terrível mundo do insucesso escolar depois de serem apanhadas a jogar Sudoku na aula de História, de empresas que faliram porque o patrão não tinha cabeça para fazer nada enquanto não acabasse o Fantástico Livro do Sudoku que saiu na Mulher Moderna, de senhoras atropeladas porque pararam no meio da Avenida Pedro Álvares Cabral a discutir se o último Sudoku saído no Público devia ter a classificação "Muito Difícil" ou "Médio"...
E tudo isto tem tendência a piorar, já que segundo os especialistas o Sudoku tem um período de incubação de cerca de três semanas, após o qual os sintomas se manifestam com muito mais força, havendo relato de delírios nocturnos, acompanhados de suores frios e de imagens psicadélicas, com quadrados disformes e muitos números a pingar, com um barulho ritmado que se assemelha às torturas da PIDE!

tags:

escrito por Joan@ às 09:53
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Terça-feira, 20 de Setembro de 2005
Uma ida ao Jumbo acaba por ser SEMPRE compensadora! Porque vemos, a cada visita, algo de inédito, e inevitavelmente comovente (ou não se passasse tudo ao som da Rádio Jumbo - e isto é verídico, garanto). No episódio de hoje pude assitir ao diálogo entre uma senhora, digamos, idosa, e um senhor nao menos idoso. Na verdade era mais um monólogo, já que a senhora não deu grandes hipóteses ao seu interlocutor, dizendo-lhe "desculpe não está com pressa não? (isto enquanto já puxava o panfleto que ele levava debaixo do braço).. é que eu queria ver o que é que há agora em promoção, comparar os preços, sabe!..."
E lá fui eu, a muito custo confesso, andando no corredor e deixando para trás estes dois ádoráveis seres, na sua partilha emocional do folheto de promoções do Jumbo.


escrito por Joan@ às 08:19
dizer coisas | partilhar

O que passará pela cabeça do carteiro (e falo deste "carteiro" como entidade global, personagem-tipo, representante de todos aqueles que distribuem cartas com o sexy uniforme dos CTT), que raio de pensamento assombroso lhe invade o espírito no momento de escrever os avisos postais?? É que com certeza já repararam que qualquer singelo aviso de recepção é escrito com hieróglifos imcompreensíveis! Tento compreender, em vão, o porquê de no lugar de "Rui Santos" estarem dez símbolos com influência árabe, ou de nos quadradinhos da data estarem letras desordenadas. Que espécie de relação desenvolvem estes distribuidores de correspondência com aqueles pequenos avisos em papel branco e vermelho? Uma relação, no mínimo, promíscua!

tags:

escrito por Joan@ às 08:02
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Quinta-feira, 8 de Setembro de 2005
Teste a sua adaptação (ou falta dela) a Portugal, em apenas uma pergunta, providenciada pelo monstro bolero para o ajudar a compreender se pode viver mais uns meses neste país ou se deve emigrar de imediato.
Contexto - quer inscrever-se na faculdade e telefona para o respectivo departamento a saber a data dessa inscrição, a senhora que o atende diz-lhe dia 14. Acredita? A) Sim B) Não.
Se respondeu Não, você é um português nato, de alma e coração (por mais enfartes e AVCs que já tenha tido), que ligou para a Universidade apenas para ouvir a simpática voz da senhora da secretaria (ok, simpatia não é a principal característica mas a senhora há de ter outras qualidades, as pessoas é que ainda não descobriram!)...
Se respondeu Sim, por favor... vá fazer as malas de imediato, você não possui as "social skills" indispensáveis para viver num país do terceiro mundo como o nosso. Shame on you!! Devia ter vergonha de pedir informações nas quais posteriormente acredita e confia! Não me espanta nada se me disser que ainda está na segunda classe aos 43 anos, se sempre tiver acreditado dessa forma nas instituições portuguesas!

tags:

escrito por Joan@ às 17:30
dizer coisas | comentários (4) | partilhar

Mais uma vez defendo que o melhor programa humorístico português é o Telejornal. Afinal, que outra comédia conhecem onde fosse possível ver um quadro tão surreal? - dez da manhã, num descampado perto de Tróia, um jornalista tenta entrevistar uma série de velhinhos, que vão falando a custo, sem nunca tirar os binóculos que têm em frente dos olhos. Pergunta-lhes o que fazem ali, ao que eles respondem convictamente "é para ver as torres caír"... ao que o jornalista esclarece "mas a implosão dos edifícios da Torralta é só às quatro da tarde!"... réplica desconfiada do velhote "ahh não isso nunca se sabe, as torres podem caír mais cedo e depois a gente não vê!"... Com realidade deste calibre, quem precisa de ficção??


escrito por Joan@ às 17:23
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Mais uma dúvida existencial by monstro bolero... O que levará alguém a inventar um serviço de insultos via SMS, anunciado como "surpreende os teus amigos com os melhores insultos"... e pior... o que levará alguém a surpreender mesmo os seus... contactos... (que nesse momento deixarão de ser seus amigos com certeza... a não ser que gostem mesmo de receber mensagens a a dizer "a tua mãe piiii... e o teu pai .. enfim!") ?!? Intrigante de facto (depois das mulheres nuas, do peido rap, das melhores frases de amor, anedotas do Fernando Rocha, penso que toda a sociedade portuguesa estava à espera deste serviço, o país agradece). Nem consigo prever o que virá de mais absurdo a seguir... excertos dos debates da assembleia?? naaa... isso era demasiado agressivo!



escrito por Joan@ às 17:15
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Quarta-feira, 7 de Setembro de 2005
Parar numa operação stop é uma experiência única. Começa por aquela continência que fazem a espreitar para a nossa janela, e a partir daí tudo nos dá mais vontade de rir, sobretudo o ar sério que o senhor agente de autoridade deve treinar horas a fio em frente do espelho, bem como aquele suspense que faz ao ver os nossos documentos, como se estivesse a ler o último romance do Gabriel Garcia Marquez... E depois... tudo piora quando ele abre a boca e começa a usar o seu vocabulário made in escola da polícia: "se calhar vou ter que o autoar, e sabe que a coima é elevada para quem prevarica desta forma, não pode cometer estas transgressões na via pública senhor condutor!"... e quando achamos que vamos começar a rir dentro de.. dois segundos, ele faz pior e manda-nos saír do carro para lhe mostrarmos o colete e o triângulo! No primeiro caso, é inevitável esperar que ele pergunte se optámos pelo cor-de-rosinha (que veste muito bem) ou se preferimos os tons laranja nectarina (se bem que os menos "fashion" perguntam apenas se o colete está amolgado pela União Europeia... queriam dizer homologado - faltaram à aula da escola da polícia no capítulo Coletes Coloridos)... Quanto ao triângulo, ensino-vos um truque que faz com que todas as contra-ordenações sejam esquecidas no momento (só não vos digo quem inventou, sigilo profissional!) - saem do carro, abrem o porta bagagens (gosto sempre de explicar estes passos óbvios, para ninguém ficar para trás, quem sabe se temos agentes de autoridade a ler o blog), e perguntam com o vosso ar mais inocente (aquele que só usam em situações de emergência): "o triângulo é isto"? (com a caixa vermelha na mão)... A partir dessa pergunta ele vai acreditar em tudo o que lhe disseram, do género "o carro só não tem matrícula porque caiu há 50 metros, é que foi mesmo agora" ou mesmo "na carta o meu nome é João Gaspar e no BI Anabela Neto mas sou sempre eu, não há problema!"...

tags:

escrito por Joan@ às 03:31
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Cheguei à conclusão que o nosso país caminha para uma situação angustiante, deveras difícil!!, e que merece que todos paremos para pensar um pouco... Não, não me refiro à crise, isso já é um assunto muito batido! (depois disso falava de quê? dos furacões nos EUA? E onde é que este blog ia parar? passava a despedir-me com "o país e o mundo, todos os dias no monstro bolero?", não pode ser!).. Refiro-me, sim, às previsões rigorosas (feitas pelo monstro) que dão conta de que num prazo máximo de 10 anos, todos os portugueses serão doutores!! Alguns por extenso, outros mais modestos apenas Dr, acompanhados de uma enorme facção de Srs Engenheiros, Srs Arquitectos, Mestes, Professores e Curandeiros (ai, este último não era, deixei-me levar mais uma vez!)... Continuando o meu importante raciocínio... reparem na importância que o bom português dá a ser tratado com toda a pompa e circunstância, e a tendência dos paizinhos portugueses incutirem aos filhos que "sem um diploma não és nada", mesmo que eles tenham um dedo de testa, nenhum dente e ainda estejam no 7º ano (com 33 primaveras feitas em Dezembro)... Esta previsão catastrófica que aqui vos trago pode ser constatada dia a dia, quando nas ocasiões mais insólitas, as pessoas mais inesperadas nos exigem tratamento VIP e diferenciado! Senão reparem:
Atrio do prédio, dizemos Nós Inocentes (a partir de agora abreviado na sigla "NI") "bom dia Sr. Pinto", resposta - "Bom dia o quê?? mas vocé tá parvo??", NI - "desculpe, de facto já passa do meio dia mas não se exalte!", resposta ainda mais indignada - "não é isso jovem! viu o que me chamou?? Sr. Pinto?? mas acha que eu sou o quê?? Sua mãe?? Comigo é Sr. Eng Pinto sff! olha a falta de respeito!, querem lá ver??", e lá ficamos Nós Inocentemente pendurados na entrada do prédio, depois da porta do Sr Pinto (ai, Engenheiro) bater com estrondo...
Faculdade, dizemos NI "professor pode dar-me outro enunciado sff?", recebemos como resposta "Chamou-me Professor??? Devia querer dizer Professor Doutorado (em Oxford com 18 valores), especialista em Semiótica Aplicada ao Voo das Aves no Canadá, Herlander Herlandes... ah e não há mais enunciados"...
Em casa - sim na nossa própria casa, habitação de outros NI's como nós, podemos ser invadidos pela epidemia dos doutores portugueses. Por ex, quando vem o canalizador... e NI perguntamos "quanto lhe devo??", e ele, além de nos apresentar uma conta de 200 euros ainda nos diz "quanto lhe devo Sr. Dr. Canalizador, haja respeito!".. e se perguntamos a medo "mas..há licenciatura em canalização?" - ele responde exaltado "não é bem licenciatura, mas é um curso técnico de quarto grau com equivalência a frequência de dois anos de bacharelato com possibilidade de optação entre química das soluções aquosas ou história e teoria da canalização", e nós, já com os 200 euros em riste, e visivelmente desesperados respondemos "boa tarde e obrigada"...
E podia ficar aqui a dar-vos mais exemplos da ridícula presunção lusitana, mas o meu telemóvel está a tocar.. aderi àquele fantástico serviço de toques musicais anunciado na TV, não sei se já viram: "migueeeel atendeeeeeeeee", "joãããoooo respondeeeeeeeee", e já ouço o meu a tocar lá ao fundo... "futura doutoraaaa joanaaa atendaa por favorrr"...

tags:

escrito por Joan@ às 02:57
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

contacto
joanabm@gmail.com
monstro's book
o chefe recomenda...
já moles...
2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


acabados de fazer...

2012 - ainda posso submet...

Aniversários

balançar 2011

O medo é uma cena que me ...

"Férias são férias, aqui ...

O ano dos avós

Sobre o tradutor da TV7 D...

Tenho para mim que...

tags

todas as tags

subscrever feeds