Segunda-feira, 31 de Outubro de 2005
Mais um desafio que vos proponho neste tão estimulante como entediante blog! Vamos imaginar batalhas, que podem desenrolar-se em qualquer campo...
A primeira que vos sugiro é a batalha no Hipermercado, um conflito de dimensões quase mundiais! Imaginem quão duro seria o exército dos torrões de alicante, tostas integrais e pedras pomes! E por outro lado, a aspereza dos esfregões da loiça, weetabix e vinhos a martelo!! A juntar à contenda, a fria estratégia dos congelados e lacticínios, a força explosiva dos feijões, lentilhas, grão de bico e das águas gaseificadas, o espírito de sobrevivência dos cogumelos laminados, a coragem dos detergentes e enceradores, a união da polpa e dos néctares, os terrenos movediços dos óleos vegetais e azeites (virgens mas com muita escola). E acreditem que tudo estará bem enquanto não penetrarem nem no reino do arroz, comandado pelos Marechais Agulha e Carolino, nem no condado italiano da massa, ainda no sistema ditatorial de "culto do chefe", Farfalle! No meio de tantas forças opostas, as vítimas seriam inevitáveis, bem como os mártires de guerra... Fortes candidatos, pela sonoridade dos nomes, são o atum Catita, o pão Tigre e o Pudim Mandarim. Talvez não fossem cortadas estradas, mas muitas caixas encerrariam. Como em todas as guerras as consequências sócio-económicas seriam devastadoras... muitos entrariam em saldo, outros veriam amigos e familiares serem vendidos a um euro, os mais sensíveis entrariam em depressão, enveredando pela mais penosa solução - a da liquidição total. Não creio que houvesse derramamento de sangue, mas pelo menos ruptura de stock!


escrito por Joan@ às 18:37
dizer coisas | partilhar

De onde saíram eles? Quem os contrata?? Como sabem sempre onde nós estamos?? São tudo questões inevitáveis quando falamos dos Empatas, essa raça misteriosa e senão superior, pelo menos insuperável! ... A verdade é que eles controlam todos os nossos movimentos. Eles estão sempre na nossa fila do supermercado fazendo com que ela ande menos, elas estão sempre no nosso atalho preferido, permitindo que no dia mais apressado de sempre aquela rua tenha trânsito, eles ocupam sempre o lugar de estacionamento à nossa parte dois segundos antes de nós chegarmos, e fazem questão de o deixar livre quando nós, depois de andar 2kms, carregados e encharcados, entrarmos no prédio. Eles são muitos, andam à civil e estão disseminados por todo o país. Trabalhadores incansáveis, não tiram férias, sendo possível que nos roubem o lugar para a toalha na praia, que nos encharquem com as suas bombas para a piscina, que façam abater sobre nós uma mini avalanche na neve, que atrasem o nosso check in para uma ilha paradisíaca porque se esqueceram da identificação do filho (um mini-empata em desenvolvimento), que comprem o último bilhete para o cinema, que circulem no meio das duas faixas da auto-estrada (quando se esmeram, vão a 40), que assobiem e experimentem o volume máximo dos seus auto-rádios às 3 da manhã debaixo da nossa janela, que nos persigam na rua, ou mesmo via telefone, com questionários "rapidíssimos" de cerca de 40 minutos, quando estamos cheios de pressa, que mantenham interrompidos as linhas de atendimento para as quais tentamos telefonar, que fiquem duas horas no multibanco a decidir que contas hão de pagar... Eles são capazes de tudo! Será que é só a mim que me empatam????

tags:

escrito por Joan@ às 18:22
dizer coisas | partilhar

Foi hoje anunciada a data de estreia do próximo filme da seca, quero dizer, saga, de Harry Potter nos cinemas. Se vinham na expectativa de saber o dia, podem abandonar de imediato o blog porque não fixei!! Mas lembro-me de um irrelevante pormenor que é a classificação do filme. Maiores de 12 anos. Não é que em Portugal alguém a cumpra, mas, fingindo por momentos que somos um país respeitador (ok fingindo por um momento só, não peço mais!), é uma medida cruel! Reparem, ter um Harry Potter vedado a doze décadas de crianças é o mesmo que ter um Winnie The Pooh Versão Hardcore (M/21), uma final da liga dos campeões patrocinada pela Maxima Interiores e Cosmopolitan, totalmente interdita a olhares masculinos, um livro de Margarida Rebelo Pinto com leitura não recomendada a loiras ou um "Preço Certo Em Euros" que só pudesse ser visionado por professores catedráticos. É brincar com os sentimentos das pessoas, francamente!


escrito por Joan@ às 18:11
dizer coisas | partilhar

Segunda-feira, 24 de Outubro de 2005
Foi recentemente lançada uma Campanha a favor dos doentes de Alzheimer, acção que não podia, obviamente, passar despercebida ao sempre atento Monstro Bolero... e não, não estejam já a retrair os vossos olhos e a cerrar as sobrancelhas a pensar que vou fazer piadas de mau gosto! Não vai ser preciso fazê-lo porque a própria campanha tratou disso! Bastou-me, numa inocente tarde de domingo, folhear uma revista, para me deparar com o Presidente da Câmara de Cascais, felicíssimo por se associar a úm movimento tão nobre, ostentando a t-shirt com o slogan da Campanha - "SOU INESQUECÍVEL"!!!!! Que mau gosto, como não me lembrei de nada tão macabro antes?? Para me redimir, sublinho apenas que li esta notícia na Revista Visão, que se apresentou ultimamente como "A Primeira Revista Portuguesa Editada em Braille (!!!)...

tags:

escrito por Joan@ às 10:47
dizer coisas | partilhar

Terça-feira, 11 de Outubro de 2005
Imaginem este ritual de tortura... São obrigados a vestir roupas apertadas, desconfortáveis e estupidamente formais, que vos fazem sentir-se como o Alberto João Jardim no Carnaval da Madeira, com a desvantagem de não serem homens, carecas e gordos, nem estarem no arquipélago. São obrigados a percorrer kilómetros (tudo bem, vão de carro, mas dentro daquelas roupas era quase o mesmo que irem no metro à hora de ponta). Têm que passar mais de uma hora dentro de uma igreja a fazer agachamentos forçados (agora levanta, agora senta), têmn de ouvir cânticos tenebrosamente desafinados (para bom cristão meio ré menor basta, mas para quem possua ouvidos mais hereges é complicado!), e como se não bastasse ainda têm que beijar o caseiro da quinta que se sentou ao vosso lado estrategicamente já a pensar na parte do "saúdem-se uns aos outros"!! Depois chega o copo de água, eufemismo para "concurso ao melhor estilo americano para ver quem come mais", só que em vez de hot dogs e coca cola servem-nos coisas com nomes indecifráveis, que normalmente se situam no centro de um prato enorme, com algumas decorações que não são comestíves (embora haja sempre quem tente, na esperança de conquistar mais uns pontos ao conviva do lado)... Quando já comemos mais do que nos dois últimos dias, dizem-nos "prato de carne agora?"..."ou então mesa de queijos?"... "e tem ali as vinte e três sobremesas"... E posto isto, quando estamos a pensar na melhor forma de chegar ao nosso carro sem vomitar, há uma voz que avisa "vamos abrir a pista", e sem darmos conta já estamos no meio da valsa! Aquela dança em vias de extinção que só aparece em casamentos para nos atormentar (mais ainda). E o melhor é que, no fim disto tudo, ainda esperam que estejamos animadíssimos, como se fosse o dia mais maravilhoso da nossa triste existência, como se tudo o que desejássemos para nós fosse fazer sala com aquelas pessoas que só vemos quando alguém morre (ou decide casar-se, o que para efeitos práticos redunda exactamente no mesmo), atirar arroz à cabeça de uma rapariga que não conhecemos mas que ao que parece casou com o nosso primo, e dançar salsa com a nossa tia avó como se não houvesse amanhã...

tags:

escrito por Joan@ às 16:51
dizer coisas | comentários (3) | partilhar

Pegunta pertinente que me colocaram ontem (para que vejam que eu só me dou com pessoas também elas pertinentes e com muito em que pensar) - Porque é que quando ligamos para a Telepizza (passo a publicidade) dizemos "Boa noite queria fazer uma encomenda"??? Para que é que havia de ser? Estávamos a telefonar só para saber se o senhor estava bem disposto, se tudo lhe corria de feição, se os paizinhos estavam de boa saúde e os animais domésticos idem, e depois agradecíamos e desligávamos?!?

tags:

escrito por Joan@ às 16:43
dizer coisas | comentários (1) | partilhar

Segunda-feira, 10 de Outubro de 2005
Francis Ford Coppola convocou esta manhã uma conferência de imprensa, na qual anunciou que a rodagem do próximo filme da saga "Padrinho" terá lugar em Portugal. O realizador justificou a escolha do nosso país com o facto de o número de mafiosos por metro quadrado ter ultrapassado há muito o registado na Sicília, e confessou que depois de ver ontem, na RTP Internacional, a Edição Especial Autárquicas, já tem mais de metade do casting feito, sobretudo no que toca a actores principais. Don Michael Corleone será "sem dúvida" interpretado por Isaltino Morais, cujo perfil se "adequa integralmente", se bem que o típico fato negro será substituído por farda verde alface, com um logotipo a dizer "Vamos Isaltinar". Mas a família mafiosa não mora apenas em Oeiras. Coppola fala-nos dos "primos" do Norte: um é especialista na transacção de peles, prostitutas brasileiras, garrafas de Rum e árbitros de segunda - Valentim ou Vally Corleone para os mais chegados, outro é c onhecido como Avelino Corleone e anda pelas ruas da amargura, desde que tentou destruir ao pontapé o estádio com o seu próprio nome (disseram-lhe "a posteriori", expressão muito comum entre a máfia, que um engenho explosivo era mais prático e eficaz). Levantando a ponta do véu, e deixando os fãs com água na boca, Coppola refere ainda a existência de uma espécie de Bond Girl, não menos mafiosa, que mantém uma relação incestuosa com um saco azul...
E mais não disse, será necessário esperar até à data anunciada pela distribuidora para estrear o filme em Portugal, que ao que parece foi acordada com um grupo de autarquias, tendo em conta alguns compromissos publicitários, económicos, financeiros, legais, institucionais, judiciais e criminais. O poster publicitário já pode ser visto nas salas um pouco por todo o país e mostra Alberto João Jardim e Rui Rio num fundo negro, jogando à macaca, Fátima Felgueiras beijando a testa de Avelino, Valentim Loureiro de robe, perseguido pela filha que grita "tenho orgulho muito orgulho neste pai!", Pimenta Machado a fumar um charuto e, em destaque, José Maria Martins (convidado especial) e beijar o anel verde-jade de Isaltino. Este filme promete ser o maior blockbuster da temporada.


escrito por Joan@ às 03:27
dizer coisas | comentários (2) | partilhar

contacto
joanabm@gmail.com
monstro's book
o chefe recomenda...
já moles...
2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


acabados de fazer...

2012 - ainda posso submet...

Aniversários

balançar 2011

O medo é uma cena que me ...

"Férias são férias, aqui ...

O ano dos avós

Sobre o tradutor da TV7 D...

Tenho para mim que...

tags

todas as tags

subscrever feeds